FUNORTE FACULDADES DE JANAÚBA

CRISE NA FUNDAJAN: PRESIDENTE E DIRETORES ENTREGAM OS CARGOS DO HOSPITAL DE JANAÚBA; MOTIVO DA RENÚNCIA COLETIVA NÃO FOI ESCLARECIDO

Ofício com a renúncia dos diretores foi entregue a Clesius Geraldo Freitas Menezes, presidente do Conselho Curador da Fundajan

Segundo João Teago, nos 9 meses da sua gestão de presidente da Fundajan foram quitadas dívidas de 2010, 13º salário de 2016 e pagamento do 13º salário de 2017


JANAÚBA (por Oliveira Júnior) – Um mês atrás o clima era de satisfação pelo dever cumprido no que tange à quitação salarial, inclusive da gratificação natalina referente a 2016 e deste ano. No semblante dos diretores era visível a euforia para novos e bons momentos na Fundação de Assistência Social de Janaúba (Fundajan), mantenedora do Hospital e Maternidade Sagrado Coração de Jesus.
Foto Oliveira Júnior
João Donizeti Teago pediu exoneração da presidência da Fundajan, responsável por hospital e maternidade em Janaúba.
Entretanto, na semana que se passou, mais precisamente na quinta-feira, dia 21 de dezembro, esse enredo ganhou outro sentido. A alegria deu espaço para lamentações. Isso porque a diretoria da Fundajan decidiu por uma renúncia coletiva aos cargos. O presidente, o vice-presidente, os dois diretores secretários e a contadora optaram em deixar as funções. Decisão coletiva registrada em cartório.
Ontem, domingo, dia 24 de dezembro, João Donizeti Teago manteve contato com o site do jornalista Oliveira Júnior explicando as razões por encerrar as suas atribuições no cargo de presidente da Fundajan. Na justificativa ele não entrou em detalhes sobre o motivo que levou ele e outros diretores a não mais atuarem na entidade. Indagado sobre possível interferência nos trabalhos da sua diretoria, João Teago preferiu enaltecer o empenho dos diretores e da equipe da fundação pelo pleno funcionamento do hospital e maternidade.
Foto Oliveira Júnior
O mais antigo em atividade em Janaúba, o Hospital da Fundajan está sem diretoria desde quinta-feira, dia 21, devido à renúncia coletiva do presidente e outros diretores.
“Trabalhamos muito e com muita responsabilidade conseguimos resolver muitos problemas”, explicou o ex-presidente João Teago ao acrescentar que a metodologia da sua gestão pode ter incomodado alguém. “Tiramos muitas pessoas de sua zona de conforto e, com isso, causamos muito descontentamento. Mas, mostramos que com seriedade e competência é possível termos um hospital eficiente em Janaúba”, completou.
No ofício direcionado ao presidente do Conselho Curador da Fundajan, Clesius Geraldo Freitas Menezes, o presidente João Teago, o vice-presidente Danúbio Hudson Caloni dos Santos, o diretor-secretário Cláudio Henrique Diniz Castro, o diretor-secretário suplente José Gildásio Damasceno e a contadora Cristiane Soares Souza comunicam a renúncia coletiva de forma a permitir que o referido conselho possa ditar os novos rumos.
"Adotamos um plano de ação com medidas muitas vezes hostilizadas, criticadas, mas todas elas com vistas a promover a saúde financeira e moral da entidade”, mencionaram na carta dos diretores que renunciaram aos cargos.
João Teago ressalta que no período da sua gestão conseguiu regularizar as diversas pendências financeiras com os fornecedores e colaboradores, com destaque para a liquidação de débitos do ano de 2010, bem como o pagamento integral do 13º salário de 2016, que se encontrava pendente e foi quitado também o 13º salário de 2017.
Os diretores informam que no transcorrer do ano foram desempenhadas ações no sentido em reduzir custos com pessoal e manutenção e também como saldar os inúmeros débitos da entidade que comprometiam a sua imagem e credibilidade. Segundo João Teago, isso tem sido possível diante da implantação de medidas que contiveram, às vezes, o gasto desnecessário e com o intuito de equilibrar receita e despesa.
João Teago explica que foi preciso a contenção de despesas sem, contudo, comprometer a prestação de serviço. Adianta que também tem feito investimento na estrutura do hospital e maternidade Sagrado Coração de Jesus, caso do terceiro bloco cirúrgico. No 9º mês de administração da Fundajan, João Teago disse que não tem sido fácil lidar com as situações adversas. Mas, com apoio dos diretores da fundação e a colaboração dos funcionários e ainda a ajuda de parceiros, tem sido possível manter o hospital e maternidade em funcionamento.
Os diretores da Fundajan ressaltaram que além da contenção de gastos nos últimos oito meses a entidade vem sanando as dívidas com os repasses de recursos liberados por intermédio de emendas de deputados e ainda com a recente liberação de R$ 700 mil pelo Governo de Minas (foi em meados de outubro) de transferência constitucional e ainda a destinação de R$ 1 milhão pelo Governo Federal à Fundajan.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COLISÃO FATAL ENTRE ÔNIBUS E CAMINHÃO NA BR-122, EM JANAÚBA: UMA PESSOA MORRE POR TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO

COLISÃO ENTRE ÔNIBUS E CARRO NA BR-122; HÁ ÓBITOS E VÍTIMAS FERIDAS: ENTRE CAPITÃO ENÉAS E A BR-251

GOVERNADOR ANUNCIOU NESTE SÁBADO A INCLUSÃO DO NORTE DE MINAS NA “ONDA ROXA”: AÇÃO CONTRA A COVID