FUNORTE FACULDADES DE JANAÚBA

FUNORTE FACULDADES DE JANAÚBA

Imagem
FUNORTE JANAÚBA... Somos referência... FUNORTE JANAÚBA (38)38213427 (38) 998776968 Endereço: rua Rodolfo Soares de Oliveira, 234, Vila São Vicente, Janaúba/MG.

PRODUTORES DE JANAÚBA DESTINAM PARA A FABRICAÇÃO DE DOCE A BANANA QUE SERIA JOGADA FORA

JANAÚBA (por Francelle Marzano) – Minas Gerais se destaca na produção de bananas. A safra do estado é a terceira maior do país. As variedades que se destacam são a prata e a caturra. E os produtores agora também lucram com a fruta, que antes era destinada ao descarte. A venda in natura pode ser mais lucrativa, mas aquelas que não atendem o padrão exigido pelos consumidores passaram a ser vistas com maior interesse pela indústria. Há bananas em barrinhas de cereais, em doces, desidratadas e até em balas.
O sabor está em alta. Tanto que a expectativa do estado é produzir 813,8 mil toneladas de bananas neste ano, 14,3% a mais do que o registrado no ano passado, quando a colheita atingiu 711,4 mil toneladas. Segundo a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), além da expansão da demanda com os novos usos da fruta, o aumento da produtividade está relacionado às novas tecnologias, além de tratos culturais mais bem feitos.
De acordo com o analista de mercado da Associação Central dos Fruticultores do Norte de Minas (Abanorte), Heider Cabral, cerca de 80% da produção da região é vendida para consumo in natura e os outros 15% a 20%, que seriam descartados como lixo orgânico, agora são destinados ao processamento em diversas fábricas. A mudança de visão dos produtores e a tentativa de agregar valor à fruta alavancaram esse novo mercado, que é a venda dos descartes para o processamento na indústria. Os preços pagos pelas fábricas chegam a ser 50% abaixo dos praticados pela fruta in natura, principalmente na época da safra, mas produtores afirmam que a venda das bananas que não alcançam o padrão exigido pelo varejo vale a pena.
Com uma área de mais de 200 hectares de produção de banana, o produtor e presidente da Abanorte, Saulo Bresinski, afirma que das quase 200 toneladas de fruta produzidas por semana por hectare, cerca de 6 mil quilos são enviados para a indústria de doce. “O que se sabe é que é inviável produzir para vender apenas para a indústria, que paga cerca da metade do valor cotado no outro mercado. O produtor precisa ter frutos de qualidade, que estejam dentro do padrão in natura, e enviar para a indústria apenas o que seria descarte”, ressalta.
Em Janaúba, no Norte de Minas, a fábrica Nutryllack utiliza a banana-prata para fazer o doce sem adição de açúcar. Segundo o proprietário da empresa, Sérgio Robleto, esse tipo é o melhor por ter maior teor seco do que a banana-nanica, que contém mais água e precisa de mais tempo de cozimento, deixando o doce amargo, às vezes. Ele afirma que as frutas utilizadas para a fabricação dos doces são compradas de produtores da região e, para que alcance o ponto ideal, ela precisa estar bem madura. “Utilizamos a fruta que não tem qualidade para ir para a mesa, mas que não deixa de ser boa. Compramos a um preço mais barato. O quilo custa por cerca de R$ 0,60”, afirma.
Na fábrica, são descascadas mais de 21 mil toneladas da fruta por dia, para produzir cerca de 2,5 mil quilos da bananada, que resultam em quase 9 mil barrinhas. O doce é vendido para comerciantes por cerca de R$ 0,40 a barrinha, valor que, segundo o proprietário da fábrica, cobre os custos por conta do volume de venda. Segundo Robleto, a produção só não é maior porque todo o processo é manual. Na tentativa de melhorar o sistema, ele está investindo em um protótipo de máquina para tentar mecanizar parte do processo e aumentar a produção para 5 mil quilos de bananada por dia. “Deve ficar pronto em até 30 dias e, se der certo, mais tarde vamos investir numa máquina maior para dobrar a produção”, conta. De acordo com ele, o investimento no projeto é de cerca de R$ 250 mil. Leia AQUI essa reportagem completa. (Fonte: jornal Estado de Minas, edição de 3 de agosto de 2015)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ACIDENTE FATAL NA BR-251 ENTRE CARRETA E VAN QUE TRANSPORTAVA PACIENTES DE JANAÚBA; SAMU E BOMBEIROS INFORMAM QUE 3 PESSOAS MORRERAM

PROFESSORA DA PREFEITURA DE JANAÚBA MORRE EM ACIDENTE NA MG-401: PROFESSORA ÂNGELA ESTAVA NUMA MOTO ENTRE JANAÚBA E VERDELÂNDIA

AVIÃO CAI NO SUL DE MINAS E DEIXA 7 MORTOS, ENTRE ELES O EMPRESÁRIO JANAUBENSE MARCÍLIO SILVEIRA, FILHO DO JANAUBENSE TONY EQUIPAMENTOS

CORPO DA SERVIDORA CARMEN MADALENA, DA CODEVASF, É SEPULTADO EM JANAÚBA EM CLIMA DE COMOÇÃO; SERVIDORA ELIANE MONÇÃO, VÍTIMA DESSE ACIDENTE, RECEBE ALTA E DEVE CHEGAR À JANAÚBA NESTA SEXTA-FEIRA

RIO GORUTUBA NA COMUNIDADE DE CATUNI, EM FRANCISCO SÁ-MG, NESTE SÁBADO, DIA 02 DE MARÇO DE 2024

DOIS MOTORISTAS E O DONO DO ÔNIBUS MORRERAM COM A COLISÃO EM CAMINHÃO NA BR-122, ENTRE JANAÚBA E CAPITÃO ENÉAS: ELES VIAJAVAM DE PINDAÍ-BA PARA SÃO PAULO; MOTORISTA DO CAMINHÃO QUE IA PARA JAÍBA ESTÁ INTERNADO EM HOSPITAL

ACIDENTE FATAL NA MG-401 EM JANAÚBA: TRÊS PESSOAS MORRERAM E UMA FICOU FERIDA EM COLISÃO QUE ENVOLVEU TRÊS CAMINHÕES

WAGUIM DA GÁS NORTE PARTIU ETERNAMENTE QUANDO PRATICAVA O QUE GOSTAVA DE FAZER: APROVEITAR A VIDA, VIAJAR PELO BRASIL E PILOTAR MOTOCICLETA

ACIDENTE NA BR-122: UMA MULHER MORREU E 3 PESSOAS FICARAM FERIDAS EM BATIDA DE CARRO COM CAMINHÃO

ACIDENTE FATAL EM JANAÚBA ENVOLVENDO VÍTIMA QUE ESTAVA NUMA BICICLETA E UM ÔNIBUS